23 de dezembro de 2011

A difícil arte de educar e de blogar

Hoje que sou mãe eu sinto na pele a diferença entre criar e educar, e confesso que nem de longe eu poderia imaginar que educar bem uma criança fosse uma tarefa tão árdua – pensei que fosse coisinha básica, que a gente tira de letra, mas não é.
Não é a toa que cada dia mais eu vejo crianças mau educadas, que conseguem tudo que querem na base do grito, esperneando e até batendo nos pais.
É muito mais fácil ceder aos caprichos de uma criança quando ela faz birra e vê-la quieta duma vez, do que repreender e dizer que não, que não pode e o pq de não poder.
Confesso que muitas vezes a possibilidade de sucumbir ás birras de dona Yasmin me parece a saída mais fácil, mas dificilmente me deixo levar, pq sei que lá na frente colherei bons frutos em ter uma filha educada e que sabe me obedecer quando eu digo não.
Dizer é fácil, difícil mesmo é ter postura e sustentar esse não, pq ele não valerá de nada se após instantes ele virar um sim.
Minha filha é uma criança curiosa, exploradora, mas acima de qualquer coisa ela é tinhosa, é birrenta, é brava.
É doce sim, é uma criança sorridente, uma menininha muito feliz, mas aiii se as coisas não forem do jeito dela.
Ela quer fazer tudo, e quando é repreendida pasmem, grita comigo, mas grita mesmo e me enfrenta, vendo até onde vai minha autoridade.
Quando vê que não vou ceder, dá risadinhas pra ver se me ganha, e se mesmo assim não me rendo, aí ela ri debochando.
Ela é debochada, e fico pasma como um ser tão novinho pode ter características tão fortes, uma personalidade tão definida.
Mas como já disse, o mais difícil é sustentar o não.
O sangue me ferve quando vejo ela fazendo birra sem motivo, e nesses momentos vou no banheiro, lavo o rosto, respiro fundo e volto – e ela continua coma birra.
Não quero entrar no mérito da questão palmada, até pq minha opinião é controversa ao que a maioria acredita, mas já dei palmadinhas nas mãos dela e de nada adiantou, porém, muitas vezes que ela fez e faz birra eu penso “ah baixinha, se vc fosse maior ia te dar umas palmadas pra você chorar com motivo!”, podem me julgar, mas não tem o pq eu mentir no meu próprio espaço dizendo não pensar coisas que penso, porém, daí a ter coragem são outros quinhentos, e pelo que conheço da minha filha, palmada é capaz de não funcionar.
Mas sobre o que eu tava falando, mesmo?

Em contrapartida eu criei esse e outros 400 blogs que eu tive pra dividir experiências, compartilhar e aprender com mães de carne e osso como eu.
Eu tive blog diário – isso em 2005 – blog de noiva, blog de bebê – quando engravidei a primeira vez – blog de tentante, blog de mãe, blog de dieta ... e o mais legal de todos eles era sentar e ler páaaaaaaaaginas e páginas escritas por alguém que passava as mesmas coisas que eu, me identificar com histórias que pareciam com a minha, saber que em algum lugar dessa galáxia alguém me entenderia.
Bons tempos esses.
Hoje em dia, são poucos os blogs reais, blogs de mães que falam verdadeiramente com o coração, que relatam suas experiências como mães reais e não mães super perfeitas que se enquadram no padrão pré estabelecido de maternidade moderna.
O legal é seguir aquele blog pop, que tem quatro milhões de seguidores, anúncios por todos os lados, sorteios dos mais diversos, e que o foco na maternidade mesmo é zero, o blog mais parece uma revista virtual do que um blog real.
Aí eu sento pra procurar, ler, saber se alguém em alguma galáxia passa pelo mesmo que eu, e me entristeço em ver que a blogsfera mudou tanto, que ao invés de compartilhar experiências, as pessoas estão interessadas em ter seguidores as pencas, divulgar sorteios, e o foco inicial já era.
Não to generalizando, mas muitas blogueiras estão vendidas a isso, e sabe, desanima.
Desanima saber que eu sei que existem mães como eu, que perdem a linha vez ou outra e falam mais grosso com o filho, que já estão de saco cheio de fazer papinha, que não agüentam mais serem cobradas das mais diversas formas, e que essas mães se escondem, pq muitas vezes não se encaixam no padrão de mãe estrela que hoje é cobrado, e aí se sentem acuadas para escrever.
Acho que quando criamos um blog a idéia é falar sobre um assunto que temos experiência, ou estamos aprendendo diariamente, falar sobre o que se sente, acho que o coração de um blog é a troca de experiências, e hoje em dia troca-se de tudo, menos experiência, porque são poucas que querem contar as experiências que tem.

Aí, embalada nesses pensamentos fiz uma faxina no meu blogroll (acho essa palavra tão chique), o que eu quero na blogsfera é encontrar pessoas verdadeiras, que se sentem como eu me sinto, e não que ficam divulgando sorteios (que são muito legais de vez em quando, e eu participo), não quero seguir um blog só pra ganhar o prêmio, eu quero conversar com gente como eu, que quase não tem contato social com o mundo pq está a disposição do filho o tempo todo, e encontra na internet uma válvula de escape.

Peço desculpas se você não está mais na listinha ao lado, mas espero que entenda que o intuito do meu blog é esse, e eu não me importo em ter 1 seguidor ou 1 milhão – até pq eu nunca achei que leriam o que escrevo.

E um adendo, pode acontecer de você não estar na listinha, mas estar nos meus favoritos. Eu retribuo visitas mas infelizmente não comento.
E não comento por falta de tempo, aliás, não sei como fiz um post tão grande.
Mas pouco a pouco vou colocando os blogs na lista e tudo vai entrar nos conformes, a coisa aqui é lenta – eu sou lenta mesmo – e a Yasmin exige demais de mim, e entre me dedicar a um espaço virtual e minha filha, eu prefiro ficar com ela.

Então é isso, se chegou aqui, parabéns mesmo.

Não tenho a intenção de fechar o blog, mas estou desanimada de verdade, e é por isso que as postagens diminuíram tanto!

Beijos

10 comentários:

  1. Oi Julia super me identifiquei com você!!!
    Já tive blog de outros assuntos. Quando engravidei, pensei em fazer um para meu filho,mas comecei a ler os blogs das mães super hiper perfeitas, que tiveram o parto perfeito, amamentaram perfeitamente, o filho é perfeito não dá trabalho, não faz birra, não chora, não fica doente, etc. E, sabe? Me frustrei... continuo apenas como leitora e tenho um blog fechado para deixar registrado um pouco da história dele.
    Qdo li seu post, fui identificando as atitudes do Lorenzo, faz birra, não desiste fácil das coisas, curioso, grita para chamar atenção, ao mesmo tempo é simpático e sorridente...
    Me deu um ânimo para pensar em ativar meu blog!
    Se quiser conversar mais: leth_ricci@hotmail.com

    Beijos prás 2!

    ResponderExcluir
  2. Júlia,
    Verdade! Comecei o meu blog para minha família e amigos saberem dos bbs. Na verdade escrevo pouco, mas adoro ler os blogs de mães como o seu, pois realmente passamos por coisas que ninguém fala e todo mundo passa. E pior, quando falamos ouvimos respostas de pessoas que com certeza passam por isso também, pois são humanas ( eu acho), e se fazem se dalai lama da paciência. Quando estava gravida da minha terceira filha falei para a medica que as vezes os dois estavam tão enlouquecidos, eu sem paciência, o marido com algum problema, que tinha vontade de sumir! Ela ficou apavorada que eu estaria com depressão, note que falei vontade, nunca que queria fazer ou faria... Bom, nunca mais falei que tinha vontade de sumir, mas ainda tenho...
    Continue sim, escrevendo, pois tem mães que nao tem vergonha de serem normais, sem paciência, que erram muito antes de acertar, mas que tem amor de sobra. Seu blog e muito lindo! Beijoss. Se quiser dar uma olhada nos meus posts, raros, nunca acho muita coisa ara escrever, e olha que minha vida e cheia de coisas... Www.criandomeusbebes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá, eba eu li tudinho, parece mais curtinho quando a gente lê.
    Eu também acho que bater não é a solução certa !!
    Educar com calma e ser firme, não dar aquilo que eles querem, concordo mesmo com vc!
    E eu também concordo que os blogs estão a mudar muito né? Eu vou tentar compartilhar mais coisas da vida do Daniel, não se preocupe em não comentar !!
    Eu sempre passarei aqui, e as vezes também não comento!!
    Mas aqui estou agora tá ?
    E a educação firme, verdadeira e com muito amor faz mesmo a diferença como vc falou !!
    "E sido só quem escreve bem" Oi!? eu escrevo bem? Vc me segue !! Ebaaaaaaaaaa rsrsrsrss !!
    FELIZ NATAL cheio de saúde, amor, felicidade e família!!
    São os votos da Marta e do Daniel

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Julia, essa semana teve uma outra blogueira fazendo o mesmo post que o seu no blog.
    Realmente, tudo mudou muito! Agente vê muita perfeição e isso não é bom. A vida é feita de contra tempos e coisas ruins também, se não que graça teria viver??
    Concordo plenamente com o que você disse!

    ResponderExcluir
  7. É, percebi mesmo que suas postagens diminuíram, e sempre adorei ler teu blog, adoro o jeito que escreve.
    Eu detesto os blogs "perfeitos", porque nada nessa vida é perfeito, sempre temos os contratempos do dia-a-dia neh? Se bem que eu tenho mais tendência à reclamar em meu blog...rs

    Realmente educar não é tarefa fácil, e não há fórmulas mágicas pra isso. Cada família têm sua fórmula que dá certo, ou ao menos a que se enquadra melhor.

    bjo e vcs, bom fim de ano!

    ResponderExcluir
  8. Aaahhh!!! Eu gosto tanto do seu blog!!Eu quase não comento, mas sempre leio e me identifiquei com muitas questões que vc já postou, afinal, também tenho uma filha pequena(2 anos e meio), e já passei por várias coisas que vc passou.
    Realmente os blogs de hoje em dia não passam de um modo das pessoas "fazerem" dinheiro. E quanto às mães que tem os filhos e a vida perfeita, me irritam tb!! Afinal, elas querem compartilhar a vida materna ou se mostarem melhor que as outras??
    Gosto do seu blog pq vc é sincera e mostra que a vida não é perfeita.
    Um ótimo 2012 pra vc e sua família!!!!

    ResponderExcluir
  9. Ju, acho que vc está certa. Realmente, as coisas estão mudando e isso acontece sempre... Mas acredito que a gente pode fazer valer nossas experiências. Mesmo por que sempre haverá mamães em busca de ajuda, como vc e eu. Eu estou um pouco desorganizada, confesso que estou deixando passar muita coisa. Mas vc me despertou e vou colocar minha vida de blogueira em ordem e vou falar sobre o meu sangue que sobe e desce algumas vezes..rsrs.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  10. Juuuuuu minha linda, preciso de sua ajuda.
    Eu quero um templante para meu novo blog, quero falar da minha gravidez com gravidinhas, quero trocar experiencias que estou vivendo agora e ainda vou viver.
    ME AJUDAAAAAAAAAAA??????????
    Vc tem msn, se tiver me adiciona girassol_vida@hotmail.com
    Bjks

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui‼