10 de março de 2011

Super mãe?

Daí que eu acabei de crer que não existe super mãe, o que existe são mulheres feitas de carne e osso, tentando se aprimorar a cada dia pra dar pro filho o que há de melhor nelas.
Digo isso, pq quando engravidei li, aliás, devorei tudo que pude sobre o universo dos bebês.
Li tudo mesmo, fiz cursinho, assisti vídeo, busquei informações das mais diversas desde como acalmar um bebê até saber se está tudo bem com ele pela cor do cocô (juro que até isso eu li).
A verdade é que não há livro, cursinho, vídeo, fórum, site, dica ... que nos prepare pra maternidade.
Tô dizendo tudo isso, pq quando engravidei achava um absurdo quando as pessoas diziam que cuidar de um bebe é difícil, pra mim isso era coisa de gente preguiçosa que queria moleza, afinal de contas, eu li tudo e ia tirar de letra, como identificar o choro disso e daquilo, ahhhh coitada de mim, mordi a língua (eu sempre mordo a língua!), e hoje eu afirmo com todas as letras que é difícil sim, porém, totalmente gratificante!
E não é difícil na parte física não, afinal, se deitar e dormir oito horas seguidas (o que é quase uma utopia hauahuahauh) eu tô nova, renovada, mas o psicológico da gente fica meio estraçalhado sabe?
Eu durmo com o pensamento nela, e aí mau durmo pq sempre tem a preocupação se está tudo bem, se ela realmente arrotou (loucura minha), se está bem coberta, e confesso que a cada suspiro mais alto, lá tô eu do lado do berço igual um zumbi.
E tem a hora de pegar no sono, ontem ela não queria dormir de jeito nenhum, embalei, dei o mamá, coloquei musiquinha, verifique três vezes a fralda (pq ela fica extremamente irritada se a fralda está suja), cantei, coloquei no carrinho pra embalar e choreiiiii, chorei mesmo, pq eu precisava dormir, pq o meu corpo estava cansado, pq eu não sabia mais o que fazer, pq o Pablo não chegava do trabalho pra ficar um pouco com ela, por uma infinidade de coisas.

Ali, sentada, chorando caí na real, a maternidade é hiper gratificante sim, é impossível não se render a um sorriso do seu filho, a mágica que há quando o abraçamos e sentimos aquele cheirinho delicioso de bebê, o coração da gente se enche de alegria por ter colocado no mundo um serzinho tão perfeito e que enche nosso coração de felicidade, porém, há o outro lado, e ontem eu beirei o desespero, não saber o que fazer dá uma sensação de impotência impar, e foi isso que me deu desespero, por não ter lido em nenhum manual o que fazer numa situação dessas, pq os livros falam do bebe, mas ninguém fala da mãe, em como ela vai se sentir impotente em não decifrar o que o filho quer, em como se comportar quando se está prestes a beirar a loucura.

Aí eu olho pros lados e vejo como sou ingrata, tenho a ajuda do Pablo (que colocou ela pra dormir em meia hora, enquanto eu tentei por quase seis), tenho minha mãe, tenho minha irmã, tenho meu pai, enquanto tem gente que não tem ajuda vinda de lado nenhum.
Ou sou muito frouxa, ou não sou uma super mãe, e prefiro acreditar que não sou uma super mãe, a idéia de ser uma mãe perfeita e não errar nunca as vezes me assusta e acho que não é isso que busco, errar é bom sim, a gente aprende errando.

Pensei nas meninas que engravidam novinhas, com seus 14, 15 anos e não tem o pai do lado pra ajudar – e ter o pai do lado é fundamental pra passar por isso sim, o filho foi feito pelos dois, portanto, o cuidado deve vir dos dois.
Pensei nas mulheres que estão sozinhas em outra cidade, estado, país, galáxia, e não tem um familiar por perto pra auxiliar, minha nossa senhora do desespero, como deve ser ruim!

Eu pensei em tanta coisa, que no fim das contas respirei fundo, e me derreti em sorrisos quando ela deu um pseudo sorriso em meio a penumbra do quarto, e vi que cada um tem uma dificuldade, as vezes o que é difícil pra mim pode ser fácil pro outro, mas a conclusão é que é impossível ser uma super mãe (pelo menos pra mim), eu vou errar tentando acertar, vou chorar de desespero algumas vezes, vou me derreter em sorrisos outras, mas no fim das contas tudo valerá a pena e o saldo será positivo sempre.

Fácil não seria, inocente eu que pensei que o povo queria moleza, mas quer saber, se eu quisesse moleza, que sentasse no pudim!

E me digam, se mesmo depois de um dia tenebroso de olheiras (ontem) eu não ia me derreter vendo-a dormir tão fofamente ??? (da onde eu tirei o fofamente hauhauhau?).

Com amour

Juu

24 comentários:

  1. uuma lindesa né ?

    titia te ama muuuuuuuuuuito bebe

    ResponderExcluir
  2. Que coisinha mais fofa meu Deus.
    Aí Ju, não é fácil né? Mas não sei proquie meu marido tem pavor do trabalho que criança pequena dá. Coitado, nunca vai entender que a preocupação de uma mãe vai muito além disso.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ai amiga... te entendo perfeitamente... vc disse tudo o que toda mãe já passou um dia... Agora, sobre ser super mãe, isso não existe... somos humanas, erramos, choramos, fraquejamos... o que existe é um super amor... Não se culpe... jamais!!

    Essa sua princesa está cada dia mais fofaaaaa... LINDAAAAAAAA

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ju, eu entendo perfeitamente o estado que vc deve ter ficado, e vivo imaginando o quanto deve ser ruim não ter ninguém por perto como você disse...

    mas sua filhinha tá linda e fofa demais, e acredito que tudo isso compensa, são dias ruins, mas quer saber, eles passam também, junto com os dias bons que vc nunca mais vai esquecer....

    é tudo tão rápido, aproveita muito amiga...

    beijos pra vcs

    ResponderExcluir
  5. Ai Ju, sua peludinha é linda mesmo! Olha, eu também já chorei por querer descansar e ele querer brincar. As primeiras vezes foi de madrugada, mas foram poucas, apenas uma ou duas e foi o pior (e nem foi tanto comparado a um monte de mamães que tem de acordar a noite toda com o bebê chorando de cólica, por exemplo). Ultimamente o Heitor tem ficado acordado o dia todo e isso é cansativo porque ele não fica muito tempo no carrinho e agora que já fica um pouco sentadinho eu tenho de colocar e tirar o cinto de segurança toda hora porque ele pode cair já que fica jogando o cabeção pra frente, rs. Mas o pior mesmo é que apesar da super ajuda que os meus pais dão, tem o lado palpiteiro de vó babona da minha mãe que me irrita, mas que eu tento disfarçar pra não criar atrito. Enfim, tudo tem seu lado bom e ruim e sim, é errando que a gente aprende ;-)

    ResponderExcluir
  6. ps: tava com saudade dos seus posts. Melhorou o lance das mamadas/leite/amamentação?

    ResponderExcluir
  7. Aos poucos vc vai se "entendendo" e vai acostumando... vai saber o q ela quer...
    Ainda mais q ela e muito fofa... e vai ser tudo muito gratificante...
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Ai Ju, confesso que tenho muito medo disso. Chego a me questionar se aguentaria isso tudo..Espero sinceramente que sim, e rezo todos os dias pra ser uma boa mãe. Se eu chegar a ser metade do que vc é, creio que já estarei capacitada..rsrs

    A Yasmin tá tão, mas TÃO linda *_*


    Beijos linda, vc já deve saber, mas se acalanta, todo mundo diz que essa sensação de impotência vai passando e vcs duas vão ficar cada vez mais sintonizadas. Cê vai ver ;)

    ;*****

    ResponderExcluir
  9. É Ju, esse começo não é fácil mesmo, é muita adaptação, não só do bebê mas da mãe também.
    E não fique pensando que você é menos Super mãe por ter seu momentos de fraqueza, eles acontecem com todo mundo! Todo mundo MESMO!!
    O importante é você chorar, desabar, mas depois levantar enxugar as lágrimas e seguir em frente!
    Saber que isso vai acontecer mais inúmeras vezes e nem por isso você vai ser menos Mãezona!
    Força e coragem, amor eu sei que você tem de sobra!!
    Parabéns pela filhota que está crescendo muito, dá pra ver em cada foto, e está cada dia mais linda!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Amiga querida ser mãe é isso ai... lendo sua postagem, relembrei exatemente como eu me sentia a exatamente um ano atras... passava pela minha cabeça tudo isso que vc escreveu... mas acredite amiga isso passa tão rápido que daqui alguns dias vc vai sentir saudade até dos momentos que sentia um sono absurdo... tudo passa Júlia... e eu assim como vc depois do nascimento do meu pequeno tb percebi que a Super mãe que eu queria ser não existe... procuro sempre fazer o melhor, mas errar é humano e super mães não existem...

    Beijão

    ResponderExcluir
  11. Juu, eu sei bem onde vou pesquisar qdo tiver dúvidas.
    Não vai ser em livros ou vídeos. O lugar é aqui : Seu Blog tem de tudo sobre bebês. Já estou treinando com toda sua experiência!
    Muito bom passar por aqui e ver essa coisinha linda, abençoada por Deus.
    Bjs e um ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  12. Ah tadinha...deve dar um desespero mesmo, mas é normal!! Os livros ensinam, mas é só na prática que saberemos mesmo o que fazer!! Eu ainda estou na fase das leituras, mas fico só imaginando como vai ser mesmo na vida real!!!
    E que coisinha mais linda do mundo!! De chapéu e tudo!!
    Beijokas querida!!

    ResponderExcluir
  13. Ju, nada nem ninguém nos prepara pra essa maré de emoções que passamos no começo! É duro, duro demais, mas as carinhas fofas que eles fazem compensam tudo. Ser mãe é o maior desafio que alguém pode passar na vida. Linda linda tua Yasmin, beijos e força, que tudo passa (meu mantra, pode adotar se quiser).

    ResponderExcluir
  14. Lembrei agora da minha mãe com meu irmão mais novo, quando ele era bebê. Tinha dias que ela surtava demais, pois ele não parava com nada. Eu olhava aquilo sem entender o desespero dela e também era muito pequena para ajudar (acho que eu mais atrapalhava do que ajudava).

    Enfim... são coisas que a gente vai descobrindo com o tempo e com a vivência com os nossos pequenos.

    E não tem verdade maior do que aquela que só quando a gente se torna mãe é que entende as nossas mães e passa a vê-las de outro jeito.

    Beijos, Ananda.

    http://projetodemae.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Ju...

    Que coisa mais fofamente fofa essa Yasmin!!!!
    Fala sério amiga...super mãe não existe!!!E isso que aconteceu com vc...acontece com TODAS nós.
    Não somos robôs, não somos programadas para manter a calma sempre que nosso psicológico junto com nossa físico cansado pede socorro!!A gente desaba e chora e depois começa tudo de novo...mãe é assim!!!

    BJS!

    ResponderExcluir
  16. sabe que antes de ser mãe, eu nunca acreditaria que seria possível sobreviver, 3 meses sem dormir por 3 horas seguidas (dorminhoca como eu sou . E isso não me estressa em nada adoro acordar pra amamentar e sentir a mãozinha dele agarrando meu dedo... e quando ele acorda mais cedo e não me deixa dormir mais um cadinho, é impossível não ficar feliz com o sorrisão que ele da quando olha pra mim. Todo desespero passa ao olharmos pra essas "criaturinhas" tão mágicas. bjks pra vcs!!!

    ResponderExcluir
  17. ah ela é uma fofura ...

    calma realmente não existe super Mãe e acho que dificilmente existirá,
    todas nós teremos dificuldades .
    agente pode até não conseguir ser super Mãe...
    Mais temos um SUPER AMOR .que supera qualquer noite mal dormida.

    ;P

    ResponderExcluir
  18. A Yasmin tá linda demais!!!

    Beijos

    *_*

    ResponderExcluir
  19. A Yaia ta liiiiiida!
    Vocês vão ter um trabalhão quando crescer!

    ResponderExcluir
  20. Ai Ju, que bom te ler e ver que não sou apenas eu que me desespero! Ontem foi "o" dia! A Maria Clara ficou acordada o dia todo e só queria colo! No final do dia, eu já não aguentava mais e, embora ela tenha acordado só 2 vezes essa noite, pela manhã o chororô recomeçou e eu perdi a paciência (por dentro e comigo mesma, sabe?)... um monte de coisas pra fazer e ela não fica no carrinho de jeito nenhum. Meus pais moram longe e acabo ficando sozinha pra tudo! Pra melhorar, meu marido estuda e só chega bem tarde! Ou seja, das 7h às 23h, somos nós apenas! Tem dias que choro junto, embora hoje eu já esteja muuuito mais adaptada a isso e quase sempre tiro de letra!

    Não somos super mesmo, querida!

    E a amamentação, como vai? Por aqui tá difícil... embora a pequena tenha pego o peito de novo, mama 5 minutos e já dorme e não quer mais. Só na mamadeira que a coisa flui! Não sei se conseguirei amamentar até os 6 meses porque nessas de ela não querer sugar muito tempo o peito, meu leite diminui cada dia mais! :(

    Um beijo nas duas princesas!
    (A Mimi tá liiiinda demais!)

    ResponderExcluir
  21. Own, q linda! Minha Duda tem um chapeuzinho desse sendo rosa, mas tem a cabeça tão pequena q fica batendo no queixo! Não vejo a hora dela crescer pra usar tudo!

    ResponderExcluir
  22. Tudo bem com vcs? Saudades!

    beijos queriiiiidas!!

    ResponderExcluir
  23. Oi!!

    Olha, isso é super normal. Todo as mães passam por isso. Quem diz que não passa, me desculpa mas, está escondendo o jogo.

    A maternidade é isso mesmo.

    E ela tá uma lindeza só! Nossa!!
    Fofíssima!

    Beijo!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui‼