28 de outubro de 2010

Nossa jornada até aqui ...

Daí que já se foi mais de metade do caminho‼
Tá certo que descobri a gravidez um tanto quanto ... tardiamente, mas desde que soube, ahhh, minha vida não foi mais a mesma.
E não digo isso só pelas mudanças em meu corpo, enjôos, consultas e exames, minha vida não foi mais a mesma e certamente nunca mais será.
Pela primeira vez me vi como um ser humano frágil, com um medo constante, medo de perder o que ainda não tive em meus braços – pq só quem perde uma vez sabe como dói e como esse é um fantasma que vai nos perseguir durante os nove meses.
Hoje consigo enxergar além, e entender tantas coisas que antes, somente na condição de filha meus olhos não viam.
Hoje consigo me emocionar em ver os borrões de uma ultrassom, e só quem está com o ventre recheado de vida sabe a emoção que é.
Hoje sei que o sexo do bebê não é importante, o que é importa é o que aquele velho clichê diz “o que importa mesmo é vir com saúde...”.
Foi necessário ficar grávida pra perceber que não importa qual carro eu dirijo, em que bairro moro, que perfume uso ou que viagens internacionais já fiz – o que importa no fim das contas é o meu caráter e o que vou passar pra minha Yasmin, pq isso tudo é aparência, e o que realmente importa pra ela está aqui dentro de mim, é além de tudo isso, é dignidade, é respeito, é amor, é honestidade e bom senso, é isso que transforma e é isso que educa.
Hoje meu marido é um homem muito mais interessante, pq além de pai da minha filha ele é meu cúmplice, meu comparsa de felicidade, é ele que me deu o presente mais precioso da minha vida e que me mostra todos os dias que nossa felicidade somos nós que fazemos, e que é muito mais fácil reclamar de uma situação do que mudá-la.
Hoje sei o que é a ansiedade em sentir o bebê chutar, e ficar toda boba quando chuta, seja pela primeira ou centésima vez.
Hoje sei dizer que agora sim, na condição de mãe me importo com os valores que a televisão passa, que fico mais chocada ainda quando ouço no noticiário escândalos sobre abuso infantil, trabalho escravo e tantas outras barbaridades que infelizmente existem e ai passo a entender pq algumas mães tem excesso de zelo e colocam seus filhos em redomas de cristal – é medo, puro medo de que algo ruim lhe aconteça.
Ao descobrir minha gravidez, ao me tornar mãe soube que nunca mais terei uma noite de sono tranqüilo – por mais que eu durma sempre haverá preocupação com alguma coisa.
Fico preocupada em pensar no futuro de minha pequenininha, fico pensando nas mudanças que teremos que fazer na casa e ainda nem começamos, fico pensando na escola, na alimentação, ser mãe é pensar nos mínimos detalhes e se preocupar com as coisas mais banais como se o corante de um pirulito fará mau à ela.
Foi necessário chegar aqui, na metade do caminho pra notar coisas que sempre estiveram tão óbvias, tão escancaradas a minha frente eu nunca percebi.
Foi necessário chegar aqui, na metade do caminho pra entender que colocar no mundo, isso qualquer uma faz, afinal enjôos, tonturas e vômitos fazem parte, difícil mesmo é abdicar de certas coisas, certos luxos em favor de uma vida que nem aqui fora está, que não sabemos se um dia dirá um muito obrigada por qualquer coisa, se ouviremos um eu te amo ou se vai bater com a porta na cara da gente depois de uma discussão .
Ahhh, ser mãe é a melhor coisa que aconteceu em minha vida, nessa metade da jornada já me doei mais do que pude imaginar que me doaria pra alguém, nesse meio do caminho descobri que o amor de mãe é incondicional demais e não tem como ser medido.
Nossa jornada nem começou direito, mas tenho certeza que essa é a melhor viagem de toda minha vida, não tem volta, não tem garantias, não tem devolução do dinheiro em caso de desistência, não tem como escolher se farei a viagem toda em primeira classe ou classe econômica, mas tem aprendizado, tem sorrisos e lágrimas, tem amor e muita, mas muita felicidade – e isso não vem com garantias, vem com incertezas e medos assim como toda viagem.
E o mais legal de tudo, pode parecer assustador, mas me sinto preparada, então filha, você pode vir, eu não prometo ser a melhor mãe do mundo, mas lhe juro que vou me esforçar muito pra que você tenha orgulho de mim.

Com amor

Mommy Juu
.

16 comentários:

  1. Ah, que lindo isso Juia!
    Se eu, mera espectadora, não vejo a hora de ver a carinha da Yasmin, imagino vcs!
    beijooos com muito carinho nas duas:)

    ResponderExcluir
  2. Ju, não li o post. passei so para deixar um beijo e dizer que gosto muito de você, mesmo estando sumidinha, o noivo da minha amiga (do blog) morreu to meio sem clima.
    Fica com Deus, depois volto com calma e leio tudinho ta?
    beijooos

    ResponderExcluir
  3. Ser mãe é mudar de vida, mas com todas vantagens possíveis e quando a gente achar que ta tudo errado vamos receber um sorriso e ai tudo vale a pena de novo...!!!

    Bjoss!

    ResponderExcluir
  4. Amem!!
    Lindo lindo lindo, amei o texto!
    Da pra imaginar oque vai acontecer quando nos tivermos essas coisinhas gostosas nos nossos bracos?
    Deve ser um amor que nao tem tamanho!

    ResponderExcluir
  5. Q lindo texto, Julia! Adorei!
    Assino tudinho embaixo!

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga!
    Que lindo este texto!!! Amei!
    Tô curiosa pra ver fotinhas suas! rs

    Bjinhus e ótima sexta!!!! Ebaaaaa

    ResponderExcluir
  7. Realmente somente quem perde sabe como é... e imagino que esse medo vai até o final mesmo.. eu já tenho medo so de pensar... bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Tudo certinho, Ju?
    Seu post está lindo! Poético! Tocante!
    Mesmo ainda não sendo mãe me senti "mexida" por essas movas sensações, olhares, constatações...
    Beijosss
    e outros beijinhos para Yasmin

    ResponderExcluir
  9. Me identifiquei muito com esse post.
    Sobre o medo de perder...Nunca perdi, mas demorei 2 anos pra conseguir engravidar e vivo o mesmo medo de qm já perdeu. Meu marido diz q eu tenho q relaxar,mas esse medo me persegue.
    Em relação ao sexo do bb, é relamente assim. Me preparei pra ser mae de menino ,mas qndo descobri a gravidez comecei a me preparar pra ser simplesmente mãe.

    ResponderExcluir
  10. Que lindo Ju,

    Emocionante seu texto, pois alguns coisas só percebemos quando nos tornamos mães mesmo, a mudança é muito grande...

    bjos e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  11. Bom dia Julia!

    Eba...mais da metade do acaminho andado \o/ uhuu
    Com certeza a vida muda completamente né? Imagino mesmo...
    Ai os ultrassons...menina, realmente deva ser emocionante, fiquei totalmente emocionada qdo vi meu sobrinho imagina uma mãe ver o seu nenê então!
    Todas essas descobertas e a união do casal que se fortalecendo mais e mais a cada dia não tem preço né amiga?
    Estou encantada com seu relato e espero que quando começar a tentar, logo venha meu positivo e que eu possa vir até aqui e dizer :"sei do que vc está falando amiga" ....rs


    ótima sexta-feira viu?

    bzoooo

    ResponderExcluir
  12. ai amiga, agora que vi que escrevi tudo errado acima, ainda to dormindo acho...desculpe!!!rs
    bzoo

    ResponderExcluir
  13. Oi Julia!
    Muito lindo tudo o que você escreveu.
    Fico apenas imaginando que mãe maravilhosa você será! Porque é isso mesmo, o importante é transmitir os valores que são importantes para o anjinho que está vindo aí.
    Julia, queria muito ver uma foto sua! Ainda mais com a barriga!
    Você tem orkut? Ou facebook, sei lá?
    Eu estou em ambos como Roseanne Camargo, se quiser adicionar.
    Bom fim de semana prolongado pra vc!
    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Oi Ju, é muito lindo o que você escreveu.
    Tem certas coisas que só mãe sente, entende e sabe.
    Mesmo nós "tentantes" ainda não podemos saber o que é realmente ser mãe.
    Dizem que tudo muda. Valores, pensamentos, sentimentos.
    Isso só saberei o dia que eu for mãe.
    Você já está sentindo a dádiva de ser mamãe.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Emocionante, Júlia. Disse tudo.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  16. Ju, achoq eu vou aderir sua idéia.
    Eu tenho umas 100 revistas de artesanato e tem uma que ensina fazer bonequinhas lindas. O fuxico eu achei tão trabalhoso e demorado. Gosto de coisas que ficam prontas rapidamente, sou um pouquinho ansiosa rs.
    Vou procurar uma maquina de costura baratinha, ou até aquelas manual, se o negócio engrenar compro uma melhor.
    Beijinhos pra vc e pra Yasmim

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui‼